domingo, 18 de abril de 2010

Resultado da soma de vários artistas











Para muitos adolescentes de hoje em dia que pouco conhecem sobre música de outras épocas, Joanne Stefani Germanotta, mais conhecida como Lady Gaga, parece ser uma cantora inovadora. Talvez por estarem acostumados com cantoras como Katy Perry e Rihanna, a nova geração vê Lady Gaga como uma artista inovadora por ter um visual incomum se comparada com outras cantoras contemporâneas. Irreverente, sim. Inovadora não.
Tudo o que Lady Gaga faz em termos de música e de imagem (começando por seu nome artístico, afinal Gaga é uma referência à canção Radio Ga Ga do Queen) não é nenhuma novidade para quem conhece artistas de épocas passadas, e não apenas aqueles que surgiram a partir da década de 2000. Quando vi Joanne, ou Lady Gaga, pela primeira vez, no clipe "Just Dance", talvez por seus cabelos louros e sua aparência e dancinhas sensualizadas, logo pensei: "Apenas mais uma de milhares de cantoras tentando ser uma nova Madonna, ou talvez até uma cópia de Britney Spears". Mas logo outros clipes de Gaga foram surgindo e percebi que não é só a rainda do Pop que ela quer copiar, ou se inspirar, ou como preferirem. Em muitos clipes, sua maquiagem esquisita bem como penteados e vestimentas andróginas, lembram David Bowie e a diva pop espalhafatosa dos anos 80, Cyndi Lauper; a própria Lady Gaga já afirmou que Cyndi é uma de suas inspirações. Reparem também como o penteado que Gaga aparece na tomada em que está descendo de um carro e sendo fotografada no clipe de Papparazi é bastante parecido com o penteado de Cindy Wilson, do B-52's, no clipe de Legal Tender, de 1985, o ano em que nasci. Também é impossível não comparar Gaga com Grace Jones e a esquisita Nina Hagen. Para quem considera Lady Gaga como uma esquisitona da música por ter um visual chocante, saiba que ela está longe de ser uma pioneira dos esquisitões...
O visual de Gaga nada mais é do que o resultado da soma de vários artistas que faziam sucesso quando ela não havia sequer nascido. David Bowie chocava o público com seu visual andrógino nos anos 70; o público da época talvez nunca tivesse visto antes algum artista com aquelas vestimentas e maquiagem estranhas (ele chegou a declarar que era um ET). Alice Cooper também causou impacto por sua aparência e performances bizarras na mesma época. Nos anos 80 foi a vez de Siouxie, vocalista da banda pós-punk new wave Siouxsie and The Banshees apostar em um visual incomum, que serviu como base para a moda gótica e punk. Não podemos deixar de citar também a bochechuda e escandalosa Cyndi Lauper, com seus cabelos coloridos e roupas estravagantes, estilo que Nina Hagen também adotava. Já nos anos 90, foi a vez de Marilyn Manson criar polêmica por sua imagem nada usual.
Em termos de música, Lady Gaga também não apresenta nada de novo. Apenas copia velhas fórmulas que há muito tempo já foram usadas e que já conhecemos. O produtor do disco aposta em sintetizadores, bateria eletrônica e refrões grudentos, algo que já vimos muito nos anos 80, em músicas de Cyndi Lauper, Madonna e Depeche Mode.
Mas devo confessar que algumas músicas do álbum Fame Monster me agradaram, como Paparazzi, Summer Boy, Brown Eyes e Love Game. Ao menos têm boas melodias, ao contrário do som plastificado, sem graça e insosso de Britney Spears e outras do gênero

3 comentários:

oxxx disse...

Ela deve ter seus méritos, pero no me gusta :P

Richard disse...

Ela não criou nada, apenas inovou ou reviveu algo que foi bastante interessante no passado.
No momento em que estamos é quase impossível fazer algo totalmente DIFERENTE.
A arte é assim também, cheia de influências... inovar aquilo que é bom é também ser brilhante, mesmo eu não gostando da Gaga.

Matusse do Prado disse...

Texto brilhante.
Amei!
Melhor parte: "Ao menos têm boas melodias, ao contrário do som plastificado, sem graça e insosso de Britney Spears e outras do gênero". Kkkkkkkkk...
Nunca gostei dessa Britney Spears. Pra mim ela é uma cópia mal feita da Madonna. Lady Gaga é melhor que ela, mas também não curto muito ela...